Padre de Angelim explica na íntegra festa de São José e áudio com palavrões

Uma situação constrangedora envolvendo o pároco da Paróquia São José em Angelim teve grande repercussão nas redes sociais após as publicações de duas matérias escritas pelo conceituado jornalista Roberto Almeida no seu Blogue. o qual tem propagandas governamentais e matérias tendenciosas publicadas veementemente.

Na primeira matéria o jornalista, que é esposo de uma prima do prefeito do município em questão, Douglas Duarte (PSB), cita, unilateralmente, uma confusão envolvendo a Paróquia São José e o Governo Municipal de Angelim, tendo, tal matéria, como manchete "Padre de Angelim dá show de intolerância e faz um desabafo zangado soltando um monte de palavrões".

O jornalista diz que o padre se desentendeu com o prefeito e com a população, o que, segundo relatos de um popular de Angelim com quem a redação deste blogue conversou, é mentira. "O desentendimento foi com o povo da prefeitura porquê querem tomar conta da festa do padroeiro".

Segundo o jovem com quem conversamos, diversas reuniões foram realizadas com o CPP(Conselho Pastoral Paroquial), o qual é formado por representantes de todas as pastorais, movimentos, serviços e comunidades da paróquia, desde o mês de dezembro de 2017 para planejar a festa de São José 2018 e na primeira reunião, ainda no ano passado, esteve presente o, na época, Secretário de Governo e sogro do prefeito Aderbal, que em nome do gestor municipal deu carta branca para que as forças vivas da paróquia decidissem como queriam a festa e que o que fosse decidido por eles seria acatado pelo governo.

Nas reuniões posteriores ficou decidido pelos membros do conselho, junto ao padre, que a festa de rua realizada pela prefeitura, assim como o parque de diversões, que ficavam na praça da igreja, seriam transferidos para outra rua visto que nos anos passados a presença dos brinquedos e do palco atrapalhou a passagem da procissão e consequentemente a festa centenária do padroeiro da cidade.

Mas o governo municipal não acatou a decisão, descumprindo o que havia prometido.

Em conversa com a nossa redação o padre Valdevan explicou:

"Desde dezembro, assembleia paroquial que faz-se reunião tentando entrar em acordo com a prefeitura. O sogro do prefeito que era secretário de governo disse, em uma dessas, que o que nós decidíssemos estava decidido, e eu fui pra gráfica fazer a programação da festa, depois houveram várias reuniões. Esse áudio foi gravado em janeiro numa conversa com um homem chamado Francisco que descontextualizou tudo não tendo divulgado o antes e depois da conversa. No sábado de carnaval ele jogou esse áudio nos grupos, de lá pra cá já tentamos conversar, mas não há acordo. Só o que queremos é a transferência da festa profana para outra rua para que possamos passar com São José. Eles insistem em fazer a festa em frente à igreja, a Igreja decidiu em conselho adiar a festa religiosa que tem 102 anos, a cidade tem 87, a paróquia 75 e a festa de rua 28. Então, não fui eu, a paróquia decidiu adiar uma festa de 102 anos para de 02 a 08 de Abril, ela impossibilidade de acontecer na data tradicional. Tudo isso é pressão psicológica no padre pra ver se ele corre ou aceita os caprichos de um governante que não respeita a religião dos outros"

Ainda segundo o padre a prefeitura está com um anúncio no carro de som explicando a festa que acontecerá nos dias 16 e 17 de março mas de início seria até o dia 18. O padre fala que, para ele é muita coincidência o carro de som sair no mesmo dia das matérias e que é estranho a foto usada na matéria ter sido tirada na casa da esposa do senhor Marcos Moura que é do setor de comunicação da prefeitura. Foi celebrado um acordo pela paróquia e pelo Município, junto à polícia militar e ao Ministério Público mas recentemente o acordo foi rescindido pelo governo.


Quanto aos palavrões o padre disse que é um sacerdote humano e não um anjo. Falou que todos temos momentos de raiva e estresse em que acabamos extravasando e que quem o conhece sabe da sua postura idônea e sempre em defesa do que é certo e do bem do povo.

Estamos abertos a qualquer explicação por parte do governo municipal de Angelim.

Comentários

  1. Parabéns pela matéria. O Padre Valdevan precisava ser ouvido. O que o tendencioso Roberto Almeida fez não se faz com uma pessoa, ainda mais sendo um sacerdote de coração bom como é o padre Valdevan.

    ResponderExcluir



  2. O papel do jornalista segundo Hipólito da Costa em 1808 disse ao correio brasiliense: "O primeiro dever do homem em sociedade é ser útil aos membros dela".

    Uma vez que a profissão do jornalista requer sim informações constantes, mas também as duas vertentes da situação. A sociedade, o leitor em questão quer e precisa saber da origem dos fatos e em suma de todos os ângulos que cercam aquele acontecimento, tudo tem sua versão, mas não somente um lado pode resultar tudo .

    O PADRE É UM SER HUMANO:

    O padre antes de divino é um ser humano que pensa, chora, sorri, agi, descansa, e não tem como evitar desabafar e se aborrecer,onde tende a dizer questões de maneira sucinta, evidenciando ser curto e direto as questões que passam do seu limite, ver a pessoa do Padre como ser humano é um ponto chave para entender a situação.

    Nosso pároco exerce seu ministério sacerdotal com muito zelo, dedicação, doação e entrega. Qual o olhar dos Católicos praticantes em relação ao Padre Valdevan?

    Um padre de coração aberto ao diálogo;

    Um padre que se importa com as pessoas;

    Um padre que está ao lado dos menos favorecidos.

    Um padre que vai ao encontro dos Enfermos, dos que precisam ser ouvidos, dos que estão a margem da sociedade.

    Um padre que dignifica as pessoas com a sua capacidade de ouvir, aconselhar e acolher.

    Um padre que semanalmente no final de semana visita os fiéis.

    Um padre que aproxima as pessoas de Deus e do próximo.

    Um padre tão humano.

    Na comunidade paroquial a função do padre são três:

    Pregar a palavra, celebrar os sacramentos e governar o povo de Deus. Padre Valdevan exerce sua missão entre nós com grande maestria.


    Viva o glorioso São José padroeiro da Cidade de Angelim em 102 anos de devoção, tradição e religiosidade de um povo.
    Ter consciência, ter empatia são determinantes, ou seja, colocar-se no lugar do outro, nós como iríamos reagir no lugar do padre Valdevan?

    O importante é frisar que ele é um ser humano.

    ResponderExcluir
  3. Nós, Católicos, agradecemos a oportunidade que vosso blog está dando ao nosso querido e amado Padre de expressar a outra versão da história! Grato!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

PARANATAMA ESTÁ DE LUTO

UM PASTOR COM CHEIRO DAS OVELHAS: Dom Paulo Jackson faz mais uma visita pastoral

Diocese de Garanhuns ganhará dois novos padres nesta sexta (16)